Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado do Paraná
telefone:
(41) 3224-9163

Governo corta juros de crédito para indústrias

CMN reduz taxa para 8% ao ano de linha de R$ 6,7 bilhões

Em mais um esforço para estimular a indústria nacional, o Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu ontem, em reunião extraordinária, reduzir as taxas de juros dos empréstimos do BNDES para investimentos e financiamento de exportações, de 9% para 8% ao ano. A explicação da equipe econômica é que a mudança foi feita para adequar o custo financeiro ao novo cenário de juros no Brasil.

As taxas valerão para R$ 6,7 bilhões de créditos do programa “Revitaliza”, criado para impulsionar a indústria. Parte desses empréstimos é custeada diretamente pelo Tesouro. Para financiar investimentos, o prazo de pagamento é de 96 meses, sendo 36 de carência. Já para exportações, o prazo é de 36 meses com carência de 18 meses.

O dinheiro é direcionado para setores como têxtil, eletrônico, comunicações, fertilizantes, calçados, madeira, entre outros. Cada empresa pode pegar até R$ 150 milhões.

Rio terá R$ 900 milhões com carência de 2 anos

O CMN também decidiu a partilha da linha de crédito de R$ 20 bilhões do BNDES liberada para os estados investirem em infraestrutura, como anunciado pela presidente Dilma Rousseff há 20 dias. O Rio de Janeiro – oitavo na lista dos maiores beneficiados – terá R$ 941 milhões. O estado pleiteava R$ 900 milhões.

Os empréstimos com garantia da União terão custo de Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), mais 1,1,% ao ano. Já para financiamentos sem o aval do governo será cobrada a TJLP mais 2,1% ao ano. Ao contrário do anunciado, o período de carência será de dois anos e não de um. O prazo maior atende a pedido dos estados.

Fonte: O Globo

Localização

Edifício New York Building
Rua João Negrão, 731 – terceiro andar, conjunto 301

Centro, Curitiba – Paraná.

CEP: 80010-200

(41) 3224-9163