Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado do Paraná
telefone:
(41) 3224-9163

Consumo de energia pela indústria cai 2,4%

Recuo foi apurado em pesquisa da EPE para o primeiro trimestre deste ano ante o mesmo período do ano passado; queda foi concentrada em março

O consumo de energia pelas indústrias brasileiras caiu 2,4% no primeiro trimestre deste ano na comparação com os três meses iniciais de 2012, revelou ontem a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), ao divulgar a Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica.

Para a EPE, instituição vinculada ao Ministério de Minas e Energia, a queda do consumo energético “remete à inconstância dos indicadores da produção industrial e, principalmente, ao comportamento dos setores eletrointensivos”.

A variação do consumo de energia pela indústria no trimestre ficou negativa, na comparação com o mesmo período de 2012, por causa do indicador de março, que apontou queda de 3%. Em janeiro e fevereiro, a EPE captou altas de 0,4% e 1,6%, respectivamente.

O economista Sílvio Sales, consultor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), afirma que a queda do consumo de energia nos primeiros meses do ano está atrelada ao recuo da produção das indústrias.

“A produção também terá caído na comparação de primeiro trimestre com primeiro trimestre, Em relação ao consumo de energia, a tendência (de queda) vem lá de trás, com a retração de setores mais voltados à exportação, como extração mineral e a siderurgia. Gomo um todo, a indústria anda de lado desde 2011”, disse o especialista.

Específica» Para Paulo Levy, economista do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a queda recém-registra-da está ligada a segmentos de consumo intenso de energia.

“Você pode até pensar que seja algo generalizado, mas a queda está concentrada em setores específicos. Há indicadores com níveis positivos, apesar das oscilações. Acho que esse dado da EPE teria de ser melhor avaliado. Por si só não significa retração na indústria”, afirmou.

O consumo industrial de energia no primeiro trimestre foi de 44,1 mil gigawatts-hora (GHw), ante 45,2 mil GWh, no mesmo período do ano passado. Na comparação entro março de 2013 e março de 2012, a queda foi de 1,1%.

No documento, a EPE credita a queda do consumo de energia pelas indústrias em março, principalmente, à retração produtiva nos segmentos de extração mineral e metalurgia. São destacadas as quedas em Minas Gerais, de 7,1%, Pará (12,8%), Maranhão (12,9%), Espírito Santo (3,6%) e Goiás (6,1%). Em São Paulo, o consumo industrial caiu 1,9%, por causa de retração dos setores automotivo e de fabricação de produtos de metal.

No geral, o consumo de energia no País avançou 2,5% no primeiro trimestre, em relação a igual período de 2012, atingindo 114,6 GWh. Na comparação de março de 2012 e de 2013, o consumo caiu 0,5%. Passou de 38,6 mil para 38,39 mil GWh.

O documento mostra que o consumo residencial avançou 6,6% no período, devido, em grande parte, ao aumento da posse e do uso de eletrodomésticos, Ainda conforme a Resenha Mensal, o setor de comércio e serviços também apresentou “evolução importante”, superior a 6%.

Fonte: O Estado de São Paulo

 

Localização

Edifício New York Building
Rua João Negrão, 731 – terceiro andar, conjunto 301

Centro, Curitiba – Paraná.

CEP: 80010-200

(41) 3224-9163