Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado do Paraná
telefone:
(41) 3224-9163

Analistas estão pessimistas com Petrobras

As expectativas para aos resultados da Petrobras no primeiro trimestre de 2012 não são as melhores. A média das projeções dos analistas indica queda de 27% no lucro líquido, para R$ 7,98 bilhões, e de 10,8% no Ebitda, para R$ 14,36 bilhões. O balanço, que deveria ser divulgado hoje após o fechamento do mercado, foi adiado para terça-feira.

Esse desempenho deve aparecer apesar de aumento de 20,2% previsto para a receita líquida, que deve ficar em torno de R$ 65,26 bilhões, segundo estimativa de cinco corretoras que acompanham a companhia: Credit Suisse, J.P. Morgan, Itaú BBA, Ágora e Deutsche Bank

Entre as projeções usadas como base pelo Valor, a do J.P. Morgan é a mais pessimista. O banco espera uma receita de R$ 65,88 bilhões, Ebitda de R$ 13,3 bilhões e lucro de R$ 6,8 bilhões, que os analistas da instituição admitem estar abaixo do consenso do mercado.

Os analistas Emerson Leite e Andre Sobreira, do Credit Suisse, ressaltaram que o resultado do primeiro trimestre será importante principalmente porque “vai proporcionar um melhor quadro de referência” para o mercado avaliar a capacidade de a Petrobras gerar valor.

“O quarto trimestre [de 2011] foi muito fraco, mas uma série de efeitos não recorrentes (impairment, depreciação de ativos, mudanças na forma de contabilizar os resultados das joint ventures, estoques formados no exterior e, ainda, o efeito cambial sobre os custos) tornou difícil conciliar os números com a performance verdadeira do negócio”, diz o Credit Suisse em relatório.

O banco suíço espera receita de R$ 67 bilhões para a estatal, Ebitda de R$ 14,4 bilhões e lucro líquido de R$ 8,7 bilhões. Os números têm como base a produção estável no primeiro trimestre, apesar de o banco considerar preocupante a queda de 5% na produção de março em relação a fevereiro, e preços internos de derivados ligeiramente maiores no trimestre, refletindo aumentos de 10% e 2% na gasolina e diesel, respectivamente, que só tiveram impacto nos últimos dois meses do ano passado.

O Itaú BBA prevê que a companhia vai registrar um lucro líquido de R$ 7,78 bilhões no primeiro trimestre, 29% abaixo dos R$ 10,98 bilhões registrados no mesmo período de 2011. Como ressaltam os analistas do Itaú BBA, a receita líquida deverá ficar em R$ 65,38 bilhões, 19% acima da registrada no primeiro trimestre de 2011, mas, apesar do aumento do preço do petróleo, igual à do quarto trimestre.

No relatório, os analistas do Itaú BBA destacam que, como consequência dos preços elevados do petróleo, os mesmos fatores que afetaram o resultado do quarto trimestre estão mantidos no primeiros três meses de 2012. Entre os pontos destacados estão pagamentos mais elevados de participações governamentais (royalties e participação especial) e as despesas com importação de petróleo bruto e gasolina. Menores importações de diesel no período, por outro lado, vão compensar em parte os aumentos das despesas.

A projeção do Itaú BBA é que o Ebitda da companhia seja de R$ 14,5 bilhões, 10% abaixo do apurado no mesmo trimestre de 2011 e 6% acima dos R$ 13,66 bilhões do quarto trimestre. O aumento em relação ao último trimestre de 2011 se deve à ausência de itens não recorrentes. “Esperamos este resultado para confirmar a recorrência dos itens que afetaram os resultados no quarto trimestre”, afirmam os analistas do Itaú.

O Credit Suisse ressalta ainda que vão contribuir para o melhor resultado o consumo estável de combustíveis, que permitiu uma queda de 27% nas importações de diesel, e também o aumento de 8,5% no preço do petróleo em relação ao quarto trimestre, que melhora o preço de venda da estatal.

Fonte: Valor Econômico

Localização

Edifício New York Building
Rua João Negrão, 731 – terceiro andar, conjunto 301

Centro, Curitiba – Paraná.

CEP: 80010-200

(41) 3224-9163